il tempo del silenzio

TODAY: June 23, 2014, airing on TV “Long live Italy Channel” (Can. 879 on the Sky platform)
  Maria Teresa Manta with the book “THE TIME OF SILENCEEd Albatros Necklace FEATHERS
Author interview in the program “10 BOOKS” to ore19, 30.
INVITE ALL MY FRIENDS and MY READERS to come and see me
PS: THE TV fat!
  Aware of this I inform you ARE LESS of what looked like!!!

Annunci

“IL TEMPO DEL SILENZIO” Poesie di Maria Teresa Manta( Ed. Albatros Collana LE PIUME)

Immagine

 OGGI :23 giugno 2014 , messa in onda TV su “Viva l’Italia Channel” (can. 879 della piattaforma Sky)
Maria Teresa Manta con il libro “IL TEMPO DEL SILENZIO” Ed. Albatros Collana LE PIUME
INTERVISTA all’autrice nella trasmissione”10 LIBRI”alle ore19,30.
– INVITO TUTTI I MIEI AMICI e I MIEI LETTORI a venire a vedermi …
PS: LA TV INGRASSA!
Conscia di questo vi informo SONO MENO DI QUELLO CHE SEMBRO!!!!!!!!

http://www.2duerighe.com/sparolando-divagazioni-di-costume/29976-2-giugno-2014-ricordo-di-manuele-braj-carabiniere-scelto-ucciso-in-afganistan.html

02 de junho de 2014 : Eu me lembro Manuele Braj , lance- corporal mortos no Afeganistão

Eu escutei antes da transmissão ” porta a porta” e falou da Carabinieri e estou muito zangado : você tem que esperar para falar sobre essa data ?
 
Por que você não fazer isso mais vezes ?
 
Por que você espera que essas recorrências ou morte destes ” nossos filhos” para fazê-lo ?
 
Eles são uma das muitas mães italianas desses heróis na Itália e em outros lugares fazer o seu dever com coragem e desprezo do perigo. Meus missões filho da paz fez 12 e eu fiquei doente do coração e eu tive um acidente vascular cerebral, o meu filho sempre me disse “Mãe calma , está tudo bem aqui. “
Nenhuma mãe , nenhum esposa dizer nunca ouvir de seu filho , de um cônjuge ” aqui é perigoso e cada momento em perigo de perder a vida. “
Quem tem uma missão conjunta vai se sentir sempre digo que deve fazê-lo por causa de pessoas que sofrem sorprusi e da violência, que eles precisam de ajuda , eles não têm nada e eles começam a dar um vislumbre de esperança e ajuda prática para as pessoas em desespero e sozinho.
 
Manuel também foi um desses jovens policiais que amava seu trabalho, que ele começou com tanta esperança e alegria em meu coração para fazer o seu dever , que também foi o que eu ouvi muitas vezes de mencionar.
 
Manuel , Salento, e um amigo do meu filho estava prestes a sair para a sua missão , veio nos ver cada vez que descia do Gorizia e nos perguntou se queríamos enviar algo para o nosso filho , seu amigo Gigi e toda vez que você stracaricava a máquina , mesmo quando dissemos – o suficiente , o carro está muito cheia , você também deve levar a cabo as suas coisas – e ele sempre – não, não se preocupe ele vai, ele vai no carro.
 
A última vez que eu vim para ver se alguns dias antes de sua morte no Afeganistão , ele me disse que estava saindo em dois dias e eu senti que ele, também, como foi o meu filho, eu disse a ele – Manu , não vá , você tão perigoso para estar lá , por favor renúncia.
 
Ele olhou para mim com tanta doçura que eu tinha respondido , não, você está calma, estamos lá apenas para ajudar as pessoas pobres e famintas daquelas terras , nós não vamos à luta, a nossa é uma missão de paz , não a guerra .
 
Eu tinha abraçado como um abraça uma criança e fui recebido pedindo-lhe para ter cuidado para não se expor ao perigo …
Manu era um menino sereno, calmo , doce, sempre sorridente, amava a vida e amava sua família , ele saiu com um sorriso, está de volta em um caixão coberto pela bandeira italiana !
 
A Manu e todos os jovens policiais que perderam a sua juventude, a sua vida por causa de pessoas que nem sequer conhecem as nossas orações e nossos agradecimentos SEMPRE ETERNA !
 
Naquele dia, ele se tornou mais um dos nossos maravilhosos heróis italianos

OLÁ, menino doce … (dedicado a Manuele Braj , que foi morto no Afeganistão 25 de junho, 2012 )
 
A morte não se sente e não espere ,
 
esticando a sua foice sobre a terra
 
não olhe para seu rosto, Roçada
 
e que você não pergunta que corta
 
fina linha l ‘ da vida …
Segando entre as linhas de vida ,
 
Roçada e não importa quem você é,
 
quantos anos você tem , se você merece isso,
 
pode graziarti ,
 
vocês que já experimentaram muitos cortes dolorosos
 
em seu ombro fraco , tão forte
 
para dar-lhe a coragem de enfrentar
 
essa ” vida de merda ” que sempre ,
 
que o tempo tem levado e você em silêncio,
 
coração na minha garganta, lágrimas escondidas
 
você foi para a frente, com força,
 
com coragem e não sabia que o covarde
 
morte cruel estava lá esperando …
Lembremo-nos de nossos filhos bravos com mais freqüência e não apenas da polícia 2 de junho e não apenas quando eles vêm envolto na bandeira!

Maria Teresa Manta
03 de junho de 2014

 

June 2, 2014 : I remember Manuele Braj , lance-corporal killed in Afghanistan

The funeral of Manuel Braj , who was killed June 25, 2012

I listened earlier transmission ” DOOR TO DOOR ” and spoke of the Carabinieri and I’m really angry : you have to wait to talk about this date ?
 
Why do not you do it more often?
 
Why would you expect these recurrences or death of these ” OUR CHILDREN ” to do it?
 
They are one of the many Italian mothers of these heroes in Italy and elsewhere do their duty with courage and contempt of danger . My son missions of Peace has made ​​12 and I got sick of heart and I had a stroke , my son always told me ” Mom calm , all is well here .”
No mother , no wife to say NEVER hear from your son , from one’s spouse ” here is dangerous and every moment in danger of losing his life.”
Who has a joint mission will feel always say that it must do so for the sake of people who suffer sorprusi and violence, that they need help , they have nothing and they start to give a glimmer of hope and practical help to people in despair and alone.
 
Manuel was also one of these young policemen who loved his job , which he started with so much hope and joy in my heart to do his duty, which was also what I’ve heard too many times to mention .
 
Manuel, Salento, and a friend of my son was about to leave for his mission , came to see us every time coming down from Gorizia and asked us if we wanted to send something to our son , his friend Gigi and every time you stracaricava the machine , even when we said – enough, the car is too full , you must also carry out your stuff – and he always – no , do not worry it goes, it goes in the car.
 
The last time I came to see was a few days before his death in Afghanistan, he told me he was leaving in two days and I felt that he, too, as was my son , I told him – Manu , do not go , you so dangerous to be there , please renunciation.
 
He looked at me with such sweetness I had answered – no, you’re calm , we are there only to help the poor and hungry people of those lands, we’re not going to fight , ours is a mission of peace, not war.
 
I had embraced as one embraces a child and I was greeted urging him to be careful not to expose themselves to danger …
Manu was a boy serene, calm , sweet, always smiling, loved life and loved his family , he left with a smile , is back in a coffin covered by the Italian flag !
 
A Manu and all the young policemen who lost their youth , their lives for the sake of people who did not even know our prayers and ALWAYS OUR ETERNAL THANKS !
 
That day he became another of our wonderful Italian heroes

HELLO , SWEET BOY … (dedicated to Manuele Braj , who was killed in Afghanistan June 25, 2012 )
 
The death does not feel and do not wait,
 
stretching his sickle on the earth
 
do not look at your face , Mowing
 
and do not you ask who cuts
 
l ‘ slender thread of life …
Mowing between the rows of life,
 
Mowing and no matter who you are,
 
how old are you , if you deserve this ,
 
it might graziarti ,
 
you who already have experienced many painful cuts
 
on your shoulder weak , so strong
 
to give you the courage to face
 
this ” crappy life ” that always,
 
that time has taken away and you in silence ,
 
heart in my throat , tears hidden
 
you went forward, with strength,
 
with courage and did not know that the cowardly
 
cruel death was there waiting …
Let us remember our brave sons more often and not just police June 2 and not only when they come wrapped in the flag !

Maria Teresa Manta
June 3, 2014

2 giugno 2014: ricordo di Manuele Braj, carabiniere scelto ucciso in Afganistan-http://www.2duerighe.com/sparolando-divagazioni-di-costume/29976-2-giugno-2014-ricordo-di-manuele-braj-carabiniere-scelto-ucciso-in-afganistan.html

Ascoltavo poc’anzi la trasmissione “PORTA A PORTA” e si parlava dell’arma dei carabinieri e sono davvero arrabbiata: bisogna aspettare questa data per parlarne?
Perché non lo si fa più spesso?
Perché si aspettano queste ricorrenze o la morte di questi “NOSTRI FIGLI “per farlo?
Sono una delle tante mamme italiane di questi nostri eroi che in Italia e altrove fanno il loro dovere con coraggio e sprezzo del pericolo. Mio figlio di missioni di Pace ne ha fatte 12 ed io mi sono ammalata di cuore e ho avuto un ictus, mio figlio mi ha sempre detto” tranquilla mamma, qui va tutto bene”.
Nessuna mamma, nessuna moglie sentirà MAI dire dal proprio figlio, dal proprio sposo “qui è pericoloso e ogni attimo rischiamo di rimetterci la vita”.
Chi ha un congiunto in missione si sentirà dire sempre che deve farlo per amore di genti che subiscono sorprusi e violenze, che hanno bisogno di aiuto, che non hanno nulla e che loro partono per dare un filo di speranza e un aiuto concreto a gente disperata e sola.
Manuele era anche lui uno di questi giovani carabinieri che amava il suo lavoro , che era partito con la gioia nel cuore e tanta speranza di fare il suo dovere che era quello di cui anche io ho sentito troppe volte parlare.
Manuele, salentino e amico di mio figlio stava per partire per la sua missione, veniva a trovarci ogni volta che scendeva giù da Gorizia e ci chiedeva se volevamo mandare qualcosa a nostro figlio, al suo amico Gigi e ogni volta si stracaricava la macchina, anche quando dicevamo  – basta, la macchina è troppo piena, devi portare su anche le tue cose – e lui sempre – no,tranquilli ci va, ci va in macchina.
L’ultima volta che è venuto a trovarci è stata pochi giorni prima della sua morte in Afganistan, mi aveva detto che partiva tra due giorni ed io, che sentivo anche lui come fosse mio figlio, gli avevo detto – Manu, non andare, è così pericoloso essere li, ti prego, rinuncia.
Lui guardandomi con tanta dolcezza mi aveva risposto –no, stai serena , noi siamo lì solo per aiutare la popolazione povera e affamata di quelle terre, non andiamo per combattere, la nostra è una missione di pace, non di guerra.
L’avevo abbracciato come si abbraccia un figlio e l’avevo salutato incitandolo a stare attento, a non esporsi al pericolo …
Manu era un ragazzo sereno, tranquillo, dolce, sempre sorridente, amava la vita e adorava la sua famiglia, è partito col sorriso sulle labbra, è tornato in una bara coperta dal tricolore italiano!
A Manu e a tutti i giovani carabinieri che hanno perso la loro giovinezza, la loro vita per amore di genti che neppure conoscevano le nostre preghiere SEMPRE e IL NOSTRO PERENNE GRAZIE!
Quel giorno lui divenne un altro dei nostri meravigliosi eroi italiani

CIAO, DOLCE RAGAZZO…(dedicata a Manuele Braj, ucciso in Afganistan il 25 giugno 2012)
La morte non avverte e non aspetta,
allunga la sua falce sulla terra
non guarda in faccia, FALCIA
e non si chiede a chi taglia
l’ esile filo della vita …
FALCIA tra i filari della vita,
FALCIA e non importa chi sei,
quanti anni hai, se ti meriti questo,
se potrebbe graziarti,
tu che già tanti dolorosi tagli hai vissuto
sulla tua debole spalla, così forte
da darti il coraggio di affrontarla
questa ”schifosa vita” che sempre,
che tanto ti ha tolto e tu in silenzio,
il cuore in gola, le lacrime nascoste,
sei andato avanti, con forza,
con coraggio e non sapevi che la vigliacca
morte crudele era lì ad aspettarti …
Ricordiamoli più spesso i nostri valorosi figli carabinieri e non solo il 2 giugno e non solo quando tornano avvolti dal tricolore!

Maria Teresa Manta
3 giugno 2014